3 Lições de Liderança que aprendi com Nelson Mandela

Oi, meu nome é Giuliano Fazzio Passini e sou fundador da ALMARUGBY. Aqui trabalhamos para mostrar o caminho para você liderar por valores. Focamos em liderança pessoal e empoderamento para despertar em todos a consciência que os sonhos são possíveis e alcançáveis com ética e colaboração.

Acredito muito no poder da liderança pelo exemplo e resolvi trazer para vocês, pessoas exemplares, que ilustram importantes características de líderes que se tornaram conhecidos. O primeiro deles é Nelson Mandela.

Mandela ilustra a característica fundamental de um grande líder, e muitas vezes pouco falado, que é a humildade. Sendo humilde e reconciliador, o cara foi responsável por unir e transformar a África do Sul, um país inteiro!

Separei as 3 principais lições que aprendi com Mandela:

1 – HUMILDADE

As palavras que François Pienaar, ex-capitão da seleção de Rugby da África do Sul, que teve um papel fundamental no processo de união do país, mostram, na prática o que significa essa humildade. Ele conta “toda vez que o encontrei, sua humildade era o principal; me fazia sentir tranquilo, importante, ele sempre tinha tempo.”

 

2 – AJUDAR OS OUTROS A MELHORAR

Nos 28 anos que esteve preso (1962-1990), Mandiba, como era carinhosamente chamado, lia para seus companheiros de cárcere. Seu poema favorito era o Invictus, de William Ernest Henley, cuja mensagem central é de nunca se render apesar das dificuldades.

 

3 – UNIR OS LADOS OPOSTOS

Para mim, essa é uma lição de extrema importância, principalmente no momento de polarização que vivemos. Um líder une, integra. Mandela buscava equilíbrio, igualdade ao invés de privilégios para os seus.

Enxergava seu país como um lugar para todos.

Muitos pensam que pessoas como Nelson Mandela nasceram predestinadas ou têm algo especial. Eu prefiro acreditar que ele sempre buscou isso para a vida dele.

 

O cenário que ele viveu era pouco encorajador. Foi o primeiro de sua família a ir para a escola, um dos primeiros negros a se formar como advogado na África do Sul, passou 28 anos preso, praticamente isolado do mundo e apena 5 anos no poder. Aliás, uma correção: 5 anos na função de Presidente, pois o poder sempre esteve com ele.

Qual é o seu propósito? Qual é a marca que vai deixar no mundo? Aguardo seu comentário e para estimular ainda mais suas reflexões, deixo parte do poema Invictus.

“Sou dono do meu destino
Sou capitão da minha ALMA

Obrigado!