Yaras vão para o Peru em busca de vaga nas Olimpíadas de Tóquio 2020

O Brasil pode ser forte favorito para vencer o Sevens Femininos de Rugby Femininos em Lima neste fim de semana e reivindicar o lugar de qualificação da região nos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020, mas passar pelo processo de qualificação é novo para elas.

Em 2015, nos Jogos Olímpicos Rio 2016, As Yarras não participaram, pois se qualificaram automaticamente como a nação anfitriã para a volta do Rugby nas Olimpíadas.

“Estamos sempre conscientes de que tudo pode acontecer”, disse Isadora Cerullo, uma das atletas olímpicas do Brasil em 2016, à World Rugby. “Nossa mentalidade é cuidar do trabalho e não deixar que nada seja decidido no último minuto. Controlar o máximo possível.”

Cerullo é um dos dois jogadores do time de 2016, junto com a capitã Raquel Kochhann, que compartilhará sua experiência com um time mais jovem.

“O objetivo é super claro – estamos muito focadas em vencer”, acrescentou. “Queremos ir para Tóquio.”

O Rugby brasileiro está em alta no momento, tendo a equipe garantido o status de time principal na Série Sevens 2020 do HSBC World Rugby, depois de vencer o torneio de qualificação em Hong Kong em abril. Algumas semanas depois, elas viajaram para Langford como equipe convidada do Sevens do Canadá e tiveram um bom desempenho.

“Tudo faz parte de uma jornada que começamos no ano passado quando não conseguimos nos qualificar para a Série. Nós tivemos vários torneios e todas na equipe tiveram um gostinho de rugby internacional. ”

O Brasil tem uma equipe em tempo integral de 25 jogadores que trabalham sob o comando do técnico Reuben Samuel, incluindo Bianca Silva, que foi recentemente revelada como uma das “Unstoppables” (Imparáveis, em tradução livre) na campanha “Women in Rugby #TryAndStopUs” da World Rugby .

Um aspecto chave de seu domínio continuado em sua região – elas ganharam todos os Sevens Femininos de Rugby da Sudamérica em que eles entraram desde 2004 – está no trabalho duro, mas nos bastidores.

“Infelizmente, tivemos algumas lesões no Canadá, mas com todo mundo da equipe é experiente, Reuben conseguiu selecionar a melhor equipe disponível para ir ao Peru.”

O Brasil tem um objetivo claro e um time confiante para cumpri-lo, mas não vai aceitar nenhum de seus adversários como garantido, com o Uruguai e a Costa Rica vencendo o primeiro jogo da equipe no sábado.

“As equipes na América do Sul estão evoluindo muito bem; nós vemos este torneio como outra oportunidade para nos testar e ver onde estamos. Esperamos ter bons jogos. ”

https://www.youtube.com/watch?v=da9MteDHGus

Seu maior rival nos últimos anos tem sido a Argentina, com quem treinou por uma semana antes de ambas as equipes viajarem para Hong Kong. Lá, o Brasil escapou com uma vitória de dois pontos, mas em um torneio no Paraguai poucas semanas depois, a margem na final foi muito maior.

“A Argentina sempre traz uma mistura realmente competitiva para nós. Toda vez que os enfrentamos, os conhecemos melhor. Nós nunca os levamos de ânimo leve. Temos que fazer o nosso trabalho porque eles nunca desistem.

O novo estádio em Santa María del Triunfo, nos arredores de Lima, foi construído para os Jogos Pan-Americanos, que será disputado em julho e proporcionará um legado para o jogo no Peru.

 

Leia o texto original: World Rugby