World Rugby cancela os planos de criar o Campeonato das Nações

Como eu já havia escrito aqui, a World Rugby estava com planos para a formação de um grande campeonato mundial. Porém, contra a sua vontade, a World Rugby tomou a decisão de descontinuar os planos para a criação do Campeonato das Nações.

Conseguiram a colaboração com as “confederações” ou uniões como chamamos no rugby, com os proprietários de competições e o sindicato dos jogadores internacionais de rúgbi, incluindo o envolvimento no processo de due diligence financeira. Mas a falta de consenso em questões-chave, como o calendário e os critérios de promoção e rebaixamento, deixou a World Rugby sem alternativa a não ser descontinuar o projeto.

O objetivo principal do Campeonato das Nações era assegurar um modelo financeiro e competitivo forte e sustentável para os países, proporcionar pela primeira vez um caminho de competição relevante para todos os países emergentes, estimular ainda mais o interesse dos fãs e emissoras pelo jogo e desenvolver novos mercados.

O conceito foi sustentado pelada principal agência de marketing esportivo Infront Sports & Media, apoiada pela controladora Wanda Sports, sediada em Hong Kong tendo como garantia de 12 anos de 6,1 bilhões de libras esterlinas. Interessante que a propriedade da competição teria sido retida pelas uniões dos países e proprietários das competições atuais sem qualquer venda de patrimônio. A Infront Sports and Media e a Wanda Sports ainda assim se declaram permanecerem totalmente comprometidas com os objetivos do World Rugby.

Ao longo de longas consultas com as uniões e com os principais interessados ​​do rugby internacional, a World Rugby demonstrou flexibilidade e fez todos os esforços para fornecer soluções e garantias em pontos chave, incluindo o formato da segunda divisão, o pacote financeiro para equipes rebaixadas e considerações sobre o bem-estar dos jogadores.

O presidente da World Rugby, Sir Bill Beaumont, disse: “A World Rugby assumiu este importante projeto com os melhores interesses do esporte global em sintonia com a nossa visão de crescer o esporte como um jogo para todos. Estamos naturalmente desapontados por não alcançarmos uma posição unânime sobre o Campeonato das Nações entre as nossas uniões, continuamos totalmente comprometidos em explorar formas alternativas de aumentar o significado, valor e oportunidades para o rugby internacional para evolução de todos os países.

“Isso inclui nosso compromisso contínuo com a concorrência e as oportunidades de investimento para as nações emergentes aumentarem a competitividade do rugby internacional com vistas para uma possível expansão da Copa do Mundo de Rúgbi em 2027.”

“Eu gostaria de agradecer a todas as partes interessadas por sua consideração e engajamento, a equipe executiva da World Rugby por seu trabalho árduo e Infront Sports and Media por seu apoio total e contínuo à nossa visão de crescimento global do rugby”.

Sobre a ALMA RUGBY